PARTICIPE DO NOSSO BLOG! DEIXE SUA OPINIÃO.

Seus comentários são preciosos para melhorar nosso blog. Mãos a obra, poste sua sugestão!



segunda-feira, 2 de abril de 2018

2 de abril - DIA MUNDIAL DA CONSCIENTIZAÇÃO DO AUTISMO

E hoje, DIA MUNDIAL DA CONSCIENTIZAÇÃO DO AUTISMO, fizemos muitas reflexões sobre o Tema, todos de AZUL, por um mundo mais inclusivo, como a nossa Escola sempre foi!



8 de março - DIA INTERNACIONAL DA MULHER



O mês de março passou voando... E aconteceram tantas coisas legais em nossa escola, que precisamos partilhar!
Olha o texto lindo que a nossa querida estudante Maria Eduarda fez em homenagem à sua mamãe e à todas as mulheres guerreiras:

A MULHER MAIS IMPORTANTE DA MINHA VIDA

23 de julho de 1980, nasceu a mulher mais importante da minha vida... a minha mãe. Naquela época ela ainda não era a minha mãe, nem sonhava que ia ser minha mãe.
                Ela queria ter dois meninos, mas no final teve duas meninas, dois milagres que com muita oração e luta puderam nascer.
Vou contar o que aconteceu. Ainda adolescente, minha mãe descobriu que tinha endometriose, um problema que não podia ter bebê. Ela ficou arrasada quando conseguiu engravidar e teve um aborto.
Depois disso, os médicos disseram que ela não podia ter bebê. Mas ela orou, lutou e chorou e ela teve bebê, teve que tomar remédios para conseguir me segurar.
18 de junho de 2007, eu nasci, meu pai pegou a câmera e filmou tudo, eu chorei bem pouco, meu pai estava preocupado, mas na verdade é que eu estava feliz.
Minha mãe já era uma grande guerreira, mas só foi chegar o dia...
06 de novembro de 2009, minha mãe estava passando mal e teve que fazer uma ecografia de emergência, os médicos disseram que estava faltando um pedaço do cérebro da minha irmã, mas não era verdade, na verdade minha irmã tinha feito cocô dentro da barriga da minha mãe.
Era Hora do parto, meu pai não pode entrar na sala e então não pode filmar. Minha mãe tinha risco de morte, mas no final ocorreu tudo bem. Minha irmã tinha chorado muito, não só por conta do susto, mas sim porque ela estava com fome.
“Minha mãe já era uma grande guerreira, mas agora é uma grande rainha”. Te amo mamãe.
  Maria Eduarda da Silva Perez | 5º ano “D”